Apresentação

O XI Encontro de Educação Musical da Unicamp (EEMU), organizado por docentes e discentes do curso de Licenciatura em Música, aconteceu no Instituto de Artes de 25 a 27 de abril de 2018, com a temática “Múltiplos olhares para a música na educação básica”.

O evento propôs uma discussão sobre as dificuldades relacionadas ao ensino de música na escola, após a promulgação da Lei 13.278/2016, que instituiu o ensino das quatro linguagens artísticas (música, dança, teatro e artes visuais) como obrigatórias. Entre as questões debatidas durante o evento, destacam-se: Por que a música na escola afinal? Estarão as instituições escolares conscientes do papel da música na formação educacional e humana dos estudantes? Por que foi importante a Lei 11.769 de 2008, que implementou o ensino obrigatório de música nas escolas? E a Lei 13.278, de 2 de maio de 2016, avançou ou foi um retrocesso para a área? O que fazer para ter um ensino musical de qualidade na escola? Qual seria o melhor currículo? A quem cabe a responsabilidade pela música nesse contexto?

Na Conferência de abertura, a Prof.ª Dr.ª Iveta Maria B. A. Fernandes, professora do Instituto de Artes da UNESP e integrante das equipes do MEC que elaboraram os Parâmetros Curriculares Nacionais de Arte/ Música, apresentou um histórico sobre a legislação da música na educação básica, questionando se as reformas legislativas têm conseguido efetivamente impactar o ensino musical que é feito nas escolas.

Na mesa-redonda “Práticas de ensino de música na educação básica: ação e formação”, as Prof.as Dr.as Cristiane Hatsue Vital Otutumi (professora da UNESPAr/EMBAP) e Daniela Dotto Machado (professora e atual Coordenadora do Curso de Licenciatura em Música da UFSCar), diante dos espaços profissionais abertos pelas leis que instituíram a obrigatoriedade da música na escola e, ao mesmo tempo, das dificuldades enfrentadas pelos(as) docentes que se propõem a ocupar esses espaços, colocaram em discussão as práticas de ensino de música na educação básica, tendo como foco tanto a legislação atual e as ações curriculares desejáveis (e possíveis), quanto aspectos ligados à necessária formação profissional.

As apresentações artísticas contaram com o “Grupo de Música Antiga da Unicamp”, apresentando um repertório com músicas medievais e da Renascença, a dupla “O Encantoré”, especializada na performance voltada para a educação musical, com um repertório infantil interativo e dinâmico, e, no encerramento, com a “Camerata de Cordas do Projeto Primeira Nota”, integrado por alunos do projeto do Centro Escolar Municipal de Música “Manoel José Gomes” de Campinas, que apresentou um repertório eclético que transita entre o erudito e o popular.

O evento abrangeu, ainda, comunicações orais com temáticas variadas, apresentadas por pesquisadores de diversas instituições e regiões do país, que percorreram desde questões ligadas ao ensino de música na educação básica, em escolas especializadas e em espaços alternativos até a formação profissional do músico e educador musical na universidade. As oficinas e minicursos trouxeram a Prof.ª Dr.ª Ilza Zenker Leme Joly, a Prof.ª Ma. Silvia Regina Beraldo Penteado, a Prof.ª Ma. Lucilene Silva, o Prof. Cacá Lima, o Prof. Paulo Roberto Prado Constantino, a Prof.ª Patricia Kawaguchi Cesar e o Prof. Hugo Romano Mariano, profissionais respeitados na Educação Musical que ministraram atividades relacionadas ao tema deste ano.

Gostamos sempre de lembrar que o evento surgiu como uma iniciativa dos alunos do curso de Licenciatura em Música da Unicamp, foi crescendo, e hoje proporciona aos alunos de graduação, pós-graduação e professores envolvidos um amplo espaço de discussão e aprendizado. Já bem consagrado internamente no Departamento de Música e externamente no Estado de São Paulo, tem uma página no facebook, onde as pessoas trocam informações, ao longo do ano, sobre cursos, atividades e dicas para os alunos e professores, dando continuidade às discussões iniciadas no Encontro.

Finalizamos agradecendo o apoio de inúmeras instâncias da Unicamp e do Instituto de Artes que contribuíram para que o XI Encontro fosse possível: Direção do Instituto de Artes, Coordenação de Graduação em Música, Coordenação de Pós-Graduação em Música, Diretoria de Apoio à Produção (DProd), Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural (CDC), Pró-Reitoria de Graduação (PRG), Fundação de Desenvolvimento da Unicamp (Funcamp), Ginásio Multidisciplinar da Unicamp (GMU) e Serviço de Apoio ao Estudante (SAE).

Adriana N. A. Mendes e Sílvia C. Nassif